domingo, maio 28, 2006

Os Governos de Esquerda...


Uma das coisas mais infernais que nós cidadãos razoavelmente letrados e informados passamos é ter que ouvir as explicações dos ideólogos esquerdistas para seus próprios fracassos, enquanto governantes. Além de chegarem ao poder, via de regra, por meio de mentiras e da demagogia populista, tomam-nos por burros, beócios incapazes de enxergar a realidade. Em alguns casos, que parece ser o do ex-ministro Bresser Pereira, cujo artigo quero aqui comentar, acho que os beócios são eles mesmos e, incapazes de compreenderem a realidade política, passam a fazer uma xaropada de discursos incompreensíveis e incompatíveis com a realidade que se apresenta ao observador. Essa gente como que flutua fora do tempo e do espaço, qual fantasmas. O mito da caverna de Platão dá bem a medida de como eles percebem as coisas, como sombras que vêem invertidas e que não conseguem compreender, mas insistem em nos explicar com a sua visão distorcida.
Antes de entrar no texto propriamente dito, quero aqui sublinhar os pressupostos que estão na cabeça dos intelectuais esquerdistas, que os faz de esquerda enquanto tal:
1- Ser de esquerda supostamente ser bom, é chique e estar de acordo com a busca do bem-comum. Por exclusão, ser de direita é supostamente todo o seu oposto;
2- As teorias econômicas e sociológicas que usam são aplicáveis e o supremo bem é a arbitragem da distribuição de renda, via Estado. Esquecem que suas teorias são impraticáveis e, se postas a funcionar, destroem qualquer país. A História está aí para quem quizer comprovar. Esquecem também que as leis econômicas existem a despeito das ideologias e administrar, por exemplo, moeda e câmbio, ou seja, os preços, só pode ser feito de uma única maneira, sendo a alternativa o desastre;
3- O socialismo é um ideal que pode não ser alcançado agora, mas deve ser uma meta permanente a alcançar, como se fosse o supremo bem. Esquecem que socialismo, em qualquer grau, é a desgraça da raça humana, pois castra a liberdade individual nivelando todos por baixo e concentrando na mão de poucos burocratas o poder de decidir o que é bom ou não para você;
4- Por fim, o auto-engano mais espetacular, que é achar que o não cumprimento do engodo que são suas promessas de campanha eleitoral é tornar-se de direita. Uma ova! Ser de direita consiste em ir mais além do que respeitar as leis econômicas fundamentais: é ser liberal em matéria econômica – reduzindo efetivamente o Estado e garantindo a liberdade de produção e comércio – e conservador em matéria jurídica e de costumes, coisas que a esquerda abomina.
Num artigo publicado em 8 de Janeiro, na Folha de São Paulo (“O paradoxo da esquerda”) Bresser Pereira, candidamente, afirma que “no Brasil, a esquerda ganha eleições, mas não governa”. Isso é um embuste. O Brasil tem um partido de corte revolucionário no poder, pratica uma política econômica distributivista que já vem desde a era FHC (e mesmo de antes, do governo Sarney), com tributação escorchante e um magote de desocupados vivendo à custa de quem trabalha, um pleno viés socialista. O governo do Brasil é de esquerda, pois de esquerda são os partidos que compõem a base governante, pelo perfil operário de seu presidente, pelo fato de estar no poder a elite sindical que de fato manda no país.
Bresser diz que o governo Lula não é de esquerda porque não reduz a taxa de juros, como se o governo unilateralmente pudesse determinar esse preço tão fundamental. Há muitos elementos de determinação para o nível da taxas de juros praticadas, a começar pelo tamanho da dívida pública, pela irresponsabilidade fiscal acumulada ao longo de gerações, pelas muitas moratórias “soberanas” declaradas em passado não muito distante. Reduzi-las arbitrariamente seria jogar o Brasil em uma aventura de alto risco, como tem sido feito muitas vezes, inclusive na época em que o ex-ministro comandava o Ministério da Fazenda. O Estado pode muito, mas não pode tudo, muito menos abolir as leis econômicas.
Outra grande besteira escrita por ele é que “uma sociedade civil como a da Suécia é democrática, enquanto a do Brasil é elitista”. Qualquer governo de qualquer sociedade é elitista, pois sempre é uma elite que governa, um evidente pleonasmo. Há democracia quando há alternância nessa elite dirigente, pelo voto, a cada período. O problema é esse, que Bresser não enxerga: que a nossa democracia é de aparência, na medida em que não existe uma direita política eleitoralmente viável organizada no país. Aqui o engodo consiste na falsa alternância entre mais esquerda (PT) e menos esquerda (PSDB) e no passado, de qualquer combinação esdruxulo-intervencionista, tudo menos de direita ou liberal. De fato, temos uma falsa democracia porque o sistema partidário só contempla um lado do espectro ideológico.
“O desafio da esquerda, obviamente, não é implantar o socialismo, mas governar o capitalismo melhor do que os capitalistas”. Essa frase é lapidar. É a síntese do que está na boca dos que abraçam a social-democracia, aqueles que historicamente abrem alas para a passagem do bloco dos “verdadeiros” revolucionários. A lei de ferro da conquista do poder das esquerdas é que inevitavelmente ela tem que caminhar para a opção totalitária. A social-democracia sempre chega antes. Não basta às esquerdas a hegemonia parcial que o processo democrático garante. Tem que conquistar o poder totalitário. De passagem, é preciso lembrar que é um grande mito das esquerdas dizer que os capitalistas governam. Nunca foi assim. O Estado sempre esteve na mão da elite burocrático-política, não dos empresários, esses carneiros acovardados que são roubados cotidianamente pelo excesso de regulação e de impostos. Que são sistematicamente encurralados e humilhados pelo mais reles dos agentes estatais. Freqüentar uma DAMF é bastante ilustrativo e didático para saber que realmente manda por aqui. É lá que os empresários fazem a sua genuflexão ao deus Estado.
Ter uma burocracia apartidária virou um sonho há décadas, que a nossa plutocracia nem mais acalenta. Perdeu o Estado definitivamente, se é que algum dia o teve. No período varguista mandavam os agentes burocrático-políticos, que ainda tinham algum respeito pelos que produzem riquezas, pois a ideologia distributivista ainda não era dominante. A partir de 1964 a burocracia militar passou a ditar as regras diretamente. Na assim chamada Nova República houve uma mera substituição dos militares por burocratas civis, estes muito mais burros e mais revolucionários.
O artigo de Bresser Pereira pode ser considerado uma síntese das inverdades que habita a cabeça de grande parte da chamada social-democracia, mistificando e ocultando a verdadeira realidade da política nacional.

Este é um excelente artigo do Nivaldo Cordeiro, publicado pelo "Mídia Sem Máscara" em Janeiro último e editado por Freeman.
A pintura, que não podia ser mais apropriada, é de Candido Portinari - Os retirantes de 1944.

11 comentários:

Aluizio Amorim disse...

Freeman:

também fazia tempo que não apareci por aqui. Obrigado pela visita e o seu comentário. Informo que estou adicionando agora um link para o seu blog que é excelente, combativo e que não dá colher de chá para as mediocridades. Bem colocado este artigo. E tem mais: recentemente postei o relato de uma amiga que foi à China. Fico horrorizada. Lá, uma camarilha comunista se locupleta sobre o trabalho. A direção e o regime são comunistas de araque, só para manter uma brutal repressão contra o povo. O modo de produção é capitalista selvagem. Guardadas as proporções, por aqui se vive algo parecido. Uma camarilha sindicalista impõe juros altíssimos, arrocho salarial, esmola para calar a boca da patuléia e modo de produção capitalista selvagem. É por isso que não se ouve uma só voz das denominadas elites, já que para elas é isso que interessa. Podem explorar à vontade os trabalhadores e auferir lucros astronômicos. O PT aparelhou tudo. Esmagou a clase média e calou todas as entidades da sociedade civil, a começar pelos sindicatos pelegos da CUT. É triste; lamentável que este país caminhe para um sistema igual ao chinês e é por isso que as oposições são lenientes, pois são comandadas, via de regra, por pessoas que têm interesses pessoais, empresariais e políticos. E, do jeito que está para elas, está muito bom. O reste que se dane.

Abraço do

Aluízio Amorim
http://oquepensaaluizio.zip.net

Aluizio Amorim disse...

Freeman,

por favor, relevem vc e seus leitores, alguns errinhos de grafia que cometi. Escrevi depressa e me esqueci de revisar.

obrigado

Aluízio Amorim
http://oquepensaaluizio.zip.net

Andre Senna Duarte disse...

meu amigo, perdemos, essa que é a verdade! abraços! Bom trabalho

Tanaka Yukio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Freeman disse...

Caro André Senna Duarte,
Se o "perdemos" tem a conotação parcial de derrota de nós liberais é apenas uma meia-verdade. Talvez a menos importante se, de resto, os esquerdistas fossem capazes de produzir qualquer resultado positivo para a Nação. Na verdade, quem perde realmente é o exemplo e o incentivo ao espirito empreendedor de um povo criativo, mas subjugado por uma burocracia arrogante e sufocante; por consequencia, perde a meritocracia. Está vencendo a "esperteza" , a malandragem, a vagabundice, a mediocridade! Enfim, perde é o próprio povo, e o Brasil como país, como aspirante à nação próspera e civilizada.

Santa disse...

Freeman,

Muito bom o texto. Concordo, nada mais insuportável que ouvir a esquerda argumentar sob o manto da corrupação. Esquecem que, instituiram no poder, "o direito de roubar".

Bjs

Star disse...

Free,


Infelizmente o povo brasileiro não esta interessado na verdada, a maioria não quer pensar para não ter de se preocupar, e esses espertos sabem disso e usam essa preguiça popular para atingir seus objetivos.

O brasileiro esquece de uma coisa.

"Ninguém vai fazer por mim o que nem eu quero me dar ao trabalho de fazer".


Beijo

Saramar disse...

Freeman, bom dia.
O artigo é realmente excelente. Mas nos transmite uma descrença tõ grande por mostrar que há pouca ou nenhuma esperança de alguma mudança verdadeira nos destinos deste país, pelo menos a médio prazo. Ainda mais com os candidatos que temos.
Porém, contiemos porque, como disse Gonçalves Dias, " vida é luta renhida, viver é lutar".

Beijos e um ótimo final de semana.

Anônimo disse...

I'm impressed with your site, very nice graphics!
»

Anônimo disse...

Very nice site!
buy software http://www.affiliate-marketing-6.info/affiliate-marketing-an.html http://www.basketball-17.info/Basketball4.html blowjob pictures breast reduction rhinoplasty nose job Free naked teen lesbians Erotic transformation story hot free blowjob pics minoxidil+propecia Search engine positioning south island Sisters blowjobs Henry web design 5 www cialis is it bad to give friends blowjobs Blowjob race ebony

Anônimo disse...

That's a great story. Waiting for more. Rci+timeshare+resales Pontiac g6 wallpaper camping cambrils debt consolidation http://www.diamond-engagement-rings-8.info West orange plastic surgeons