sexta-feira, maio 25, 2007

IBAMA: espelho da competência estatal...



  • O Instituto Brasileiro de Analfabetos e Mal Intencionados Amadores divulgou, na semana passada, o seu relatório “técnico” sobre a viabilidade ambiental das hidroelétricas de Jirau e Santo Antonio, no rio Madeira.
    Segundo o jornalista João Domingos, nas 221 páginas do revelador relatório, os oito ”técnicos” que assinam o documento, utilizaram 707 vezes a palavra “não”, quase sempre para desqualificar o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA), documentos fundamentais para concessão da licença prévia para as obras.

Os argumentos utilizados – todos muito parecidos – são tão absurdos e de um primarismo tão grande que só podem ser qualificados como de pura má fé!
Dentre as pérolas descabidas, inconseqüentes e levianas do documento, estão a menção ao Tratado de Tordezilhas (que por sinal expirou em 1750), um detalhamento sobre a população carcerária de Rondônia(?!)... Além da menção, também restritiva, sobre a necessidade de transferência de 2.849 pessoas da área...
Tem mais: “... Não houve o correto dimensionamento da área de campinarana que poderá ser afetada pela elevação do lençol freático; também não foi corretamente avaliado o impacto das perdas de áreas de lazer e alteração do potencial turístico”.

Bem... para não termos um ataque de riso incontrolável, creio que os exemplos das asneiras e das manifestações irrelevantes dessa trupe circense do Ibama já é suficiente!
E para não sermos chamados de críticos maldosos, faremos, como leigos, (mas não analfabetos) os seguintes comentários:

  • Só um açude no Ceará, o Castanhão, deslocou mais de 20.000 pessoas...E segundo informações atuais, a maioria das duas mil pessoas da área do projeto hidroelétrico, são garimpeiros ou aventureiros que além de poluir as águas da região com mercúrio, não tem qualquer respeito pelo meio ambiente...(o que, na minha opinião, é justificativa suficiente para serem amarrados lá, enquanto o nível das águas sobe...)
  • Campinarana é só uma campina que começa a cobrir-se de mato...O seu quintal também pode ser afetado pelo nível do lençol freático quando chove muito...
  • Quanto a fundamental relação do Tratado de Tordezilhas e da população carcerária de Rondônia com a futura hidroelétrica, minha opinião "técnica" é: Pu*&Ta%#Qo*#§Bos%¨tªa+=! Que em português significa: O que tem a ver a extremidade inferior do intestino grosso, com as calças?
  • Impacto das perdas do potencial turístico? Lá? Pelo amor de Deus, será que eles não têm nenhum respeito e cuidado com as próprias mamãezinhas?
  • O que essa dupla quadra de imbecis não diz e nem se preocupa é que o projeto do Madeira vai gerar 6,5 mil megawatts – metade de Itaipu – para beneficiar 180 milhões de brasileiros; serão investidos R$20 bilhões na região; e que uma as vantagens desse projeto é que ele prevê o aproveitamento do movimento horizontal do rio, diminuindo a necessidade de grandes represas...

    Isto, meus amigos é um discreto exemplo das sábias decisões que acontecem, cotidianamente, nos inúmeros órgãos burocráticos oficiais existentes no parasítico estado brasileiro.
    E depois você vem dizer que não entende o porquê de tudo ser tão caro, complicado, e atrasado "neztepaís"...

foto: flagrante de um dos técnicos do Ibama em plena atividade

4 comentários:

Jorge Nobre disse...

Alguns assuntos, eu não posso levar a sério. Ecologia é um deles.

Bom, nem toda ecologia. Admito que se deve manter os rios limpos, por exemplo. A vida de muita gente depende dos rios, não? Mas a maior parte é besteira.

Jorge Nobre disse...

E te informo que deixei minha assinatura lá no site da Escola Sem Partido. Eu não sei se isso ajuda, mas fiz isso.

Saramar disse...

Freeman, estou rindo aqui.
Isso comprova a capacidade técnica dos companheiros do IBAMA. Só faltou citarem Iracema, a virgem.

beijos

Silva disse...

Talvez ,o IBAMA devesse ser mais específico no que diz respeito aos verdadeiros motivos,pelos quais, não se devia mesmo fazer a tal hidroeléctrica.